21 de mar de 2008

PISTA DE EVENTOS

Por Idair Moschen - Ex-Vereador de Caxias do Sul
Recentemente tivemos mais uma demonstração da urgente necessidade de se construir a PISTA MUNICIPAL DE EVENTOS. Grande polêmica se estabeleceu nos meses que antecederam a realização da última Festa da Uva, mas apenas se ouviram palavras vazias e fúteis relacionadas ao assunto. Parecia que apenas se utilizaria a polêmica para promover a Festa, e não para manter em pauta a discussão da necessidade de se construir a tal pista de eventos.
A pergunta mais importante que queremos fazer é: Caxias do Sul comporta uma pista de eventos? A resposta é, com toda a convicção e certeza: SIM! Pois basta olharmos para o número de eventos que realizamos atualmente na Sinimbu para termos essa certeza: DESFILES DE CARROS ALEGÓRICOS DA FESTA DA UVA, SEMANA DA PÁTRIA, SEMANA FARROUPILHA, CARNAVAL e outras aglomerações que ocorrem que poderiam ser realizadas na pista de eventos e não o são, pois não tivemos a coragem de construí-la até o presente.
O trânsito de Caxias do Sul já não comporta mais tantas confusões que são criadas e a incapacidade de se gerenciar tais confusões por parte dos responsáveis. Tudo acontece diante de olhares perplexos de cidadãos e com olhares apáticos, inertes, prostrados da fiscalização de trânsito e das autoridades que o gerenciam. Nada é integrado e, apesar das tentativas de solucionar, nada dá resultado. O caos no trânsito impera nos dias em que os eventos predominam.
Registro que esse assunto é preocupação antiga na Câmara Municipal. No ano de 2006, o vereador Edio Elói Frizzo protocolou o Projeto de Lei nº 27/2006, instituindo a Pista Municipal de Eventos de Caxias do Sul. A sugestão era que se construísse uma pista na Avenida Ruben Bento Alves entre a Rua Moreira César e a Rua Ludovico Cavinatto. Hoje, temos outras alternativas que podem ser avaliadas.
A solução não pode ser mágica. É preciso planejar, integrar eventos e construir com visão de futuro o que a nossa cidade vai precisar em 2020. E se isso não acontecer...? Então o caos vai perdurar de forma acentuada ano após ano. Não podemos aceitar aquelas afirmações de que o “tal caos” faz parte do clima dos eventos. É a afirmação mais fácil e irresponsável dos que não querem entender que Caxias do Sul é uma metrópole e que deixam transparecer a sua incapacidade e os seus pensamentos retrógrados de provincianos que já não mais conseguem inovar.
Quando afirmo que é preciso integrar necessidades, chamo o testemunho do que já é fato em outros locais do país nos quais a estrutura das pistas de eventos estão integradas com escolas, galerias, salões de exposição, centros comunitários, salas de cinema, escolas de teatro, centros coletivos de tradições, postos de saúde, restaurantes comunitários, oficinas de artes e de preparação de carros alegóricos e de tantos outros espaços integrados que poderíamos apontar.
O que você pensa sobre isso? Será que daqui a 20 anos os eventos ainda acontecerão na Sinimbu?

7 de mar de 2008

A QUEDA DE QUALIDADE DOS SERVIÇOS DE CORREIO EM CAXIAS

Quem de nós não ouviu dizer que os Correios (EBCT) eram uma das poucas instituições estatais com alto grau de respeitabilidade e credibilidade em nosso país e que uma carta, fosse de barco, de bicicleta, de avião, etc., jamais deixaria de ser entregue, se as informações fossem suficientes?
Em nossa cidade já não podemos fazer tal afirmação, dada a permanente queda de qualidade dos serviços prestados, seja pelos constantes movimentos de paralisação, que têm origem nos baixos salários pagos aos carteiros, seja pelo acúmulo de trabalho, em razão da falta de nomeação de novos carteiros.
Milhares de correspondências são postadas diariamente em nossa cidade sem que o alto crescimento e desenvolvimento da cidade, com taxas de mais de 10% em 2007, tenha de parte dos Correios o devido acompanhamento, do ponto de vista da ampliação dos serviços e do seu quadro de pessoal.
A liberação de recursos humanos para Caxias do Sul para a distribuição de correspondências segue de fato qual orientação estratégica? A afirmação dos gestores da EBCT em audiência pública realizada em 24 de setembro de 2007 era que suas ações dependiam da administração centralizada em Brasília. Nessa mesma época a Coordenação de Atividades Externas da EBCT, em documento encaminhado à Câmara Municipal de Vereadores reconhece que: “Não estamos atendendo a população de Caxias do Sul nos bairros São Lucas, Vila Brasil, Villágio Iguatemi, Oriental, Santa Carolina, Millenium, Colina do Sol, Vinhedos II, De Zorzi, Castelo, Iracema, Serrano, Altos Santiago, Santa Marta, Fiorina Millani, Caravaggio, Santos Dumont II, Parque das Rosas, Boa Ventura, Pedancino, Santo André, Brandalise, Treviso, Vitória, Paiquerê, Vila Lobos, Solar Mazotti, Santa Clara, Monte Carmelo, Assis Mariani, Dionísio Adami, Cavinatto, Adamati, São Luis e Portinari”. Sabemos de outros que também não estão sendo atendidos. Podemos imaginar a quantidade de recursos financeiros desperdiçados e não cumprindo com seu objetivo? O cidadão despacha suas correspondências acreditando que elas chegarão ao destino e, sem mais nem menos, recebe-as de volta.
Mas a rua existe, tem CEP, é oficial, diz o desesperado cidadão! A malfadada resposta do carteiro registra: “FORA DO PERÍMETRO” ou outra desculpa qualquer para não efetuar a entrega. O selo, no meu entendimento, representa uma contratação de serviços que aqui poderíamos discutir e avaliar, e, se não executado a contento, representa uma quebra de contrato.
Os neoliberais e as viúvas de FHC já estão por aí a defender a privatização dos Correios, de olho em altos lucros, à custa da cidadania. Não defendo tal postura, pois acredito na gestão pública competente. Ainda acredito piamente que as coisas públicas podem e devem funcionar com agilidade e qualidade.
Portanto é hora de cobrar das autoridades responsáveis a imediata contratação de mais carteiros e melhor qualidade nos serviços. Botar a culpa na prefeitura, na eventual falta de identificação de uma rua, etc., é desculpa à incompetência da atual direção dos Correios em nosso Estado. Vamos para cima deles que a coisa melhora: 08005700100 ou gevar-rs@correios.com.br
Todos podem
ajudar nesta nossa luta para garantir um serviço de acordo com a necessidade de nossa população. Escreva! Proteste! Mande sua carta a eles, que essa, por certo, deverá chegar ao seu destino. Vamos agir?