2 de abr de 2007

COLUNA DO EDIO ELÓI FRIZZO - 02.04.07

REFORMA POLÍTICA
A recente manifestação do Superior Tribunal Eleitoral (STE) de que os mandatos parlamentares pertencem aos partidos, embora não definitiva, pois depende de ratificações pelo Supremo Tribunal Federal (STF), revigora a necessidade de que o Congresso Nacional, de forma urgente, promova uma ampla reforma política. A definição relativa à fidelidade partidária, a questão do financiamento de campanhas e o voto em lista, entre outras propostas, devem merecer respostas urgentes, sob pena de os parlamentares continuarem a ser atropelados pelo Poder Judiciário.
“ELES SÃO UMA SOPA DE LETRINHAS...”A frase de efeito utilizada pela ex-candidata Marisa Formolo na campanha à prefeitura de 2004, com o tempo, vai se mostrando sábia e cabe numa análise crítica sobre a forma com que os governos vêm se constituindo a exemplo das prefeituras de Caxias do Sul e Porto Alegre. A amplas alianças para governar, incluindo mais de uma dezena de partidos das mais distintas colorações partidárias, com programas e posições ideológicas diferenciadas, tem demonstrado e tornado evidentes as grandes dificuldades que ambos os prefeitos têm para comandar e dar unidade de ação e programa aos seus governos.
GOVERNO LULA E GOVERNO YEDA TAMBÉM PRATICAM O MESMO ERRO
As amplas alianças formadas pelos governos Lula e Yeda também, na minha visão, praticam o mesmo equívoco. No governo Lula, partidos historicamente de esquerda, como PT, PCdoB, PSB e PDT, convivem “harmoniosamente” com partidos claramente posicionados à direita no espectro político, como PP (ex-Arena), PR (ex-PL) e PMDB, uma verdadeira salada ideológica.
No governo Yeda não é diferente. Mesmo sem a presença dos partidos mais à esquerda, partidos com programas completamente distintos, como PPS, PSDB, PFL,PP,PMDB e PDT ocupam postos de primeiro escalão, cada um conduzindo suas ações de acordo com os interesses partidários. Razão, portanto, à ex-candidata Marisa: “Com sopa de letrinhas não dá”. Quem perde sempre é o eleitor, que apostou e votou numa proposta e num programa de governo e vê seu voto inutilizado diante de governos que se constituem sem a mínima unidade ideológica e programática.
CENTROS DE TRADIÇÕES GAÚCHAS E A RELAÇÃO COM A COMUNIDADEO bom senso precisa prevalecer quando o assunto é ruído e CTGs, pois todos precisam entender que as comunidades estão mudando rapidamente. Creio que simplesmente fechar os centros tradicionalistas e excluir os que gostam do movimento não é a solução. Precisamos buscar o meio termo, o bom senso. Os CTGs precisam se adequar à lei e melhorar suas condições de utilização ou, se participantes do movimento acharem conveniente, buscar melhores espaços, pois um galpão, o espaço utilizado para danças e encontros, não pode ser tão moderno assim, aí perderia as características da originalidade, do tropeirismo. Portanto, calma gente, vamos estudar a melhor maneira de atender os interesses de cada parte, dos moradores e dos que gostam do tradicionalismo. Radicalismo só servirá para promover mais radicalismo.(Colaboração de Rogério Garcia – Presidente da AMOB Jardim América)
CRISE NA EDUCAÇÃOO Governo do Estado precisa resolver definitivamente o problema causado pela falta de professores nas escolas estaduais. Imaginem os alunos voltando para casa no meio da manhã: “Ô, mãeee?! Cheguei, porque faltou o professor de matemática, de português e de história, e amanhã não vai ter aula de geografia e de artes...” Percebe-se aí a falta de administração ou de organização que existe na administração pública. Nem sempre a competência é requisito para assumir determinadas funções. Enquanto isso, quem paga e quem sofre os prejuízos da falta de qualidade é o sistema educacional. Muitos acabam pensando que os governos preferem um povo ignorante, pois é mais fácil de manipular e controlar. Será? (Colaboração Idair Moschen).
FRENTE GAÚCHA DE VEREADORES CONTRA A PRORROGAÇÃO DOS PEDÁGIOSO sistema explorador de pedágios instalado no Rio Grande do Sul anda revoltando de maneira geral todos os cidadãos, até mesmo os que não utilizam as rodovias, pois todos sabem o efeito cascata causado pelos injustos – e extremamente caros – pedágios privados. Toda a mercadoria transportada pelas estradas pedagiadas sofre acréscimos por conta das pesadas tarifas pagas pelos transportadores... É um absurdo, um atentado contra a economia popular. Quem defende os pedágios privados, como alguns jornalistas, está comprometido e a soldo das concessionárias. Alguns vendem a própria alma para ganhar alguns trocados miseráveis e não ficam nem vermelhos, pois estão ganhando... Só que estão esquecendo quem é prejudicado: O POVO!Chega de exploração, chega de mentiras. Abaixo o sistema explorador de pedágios. O tempo da escravidão e da exploração forçada já acabou! Parabéns aos vereadores que estão se organizando para atacar o assunto de frente!
CAUSOS E ANEDOTAS NA POLÍTICA (II)Depois de se fazer presente em várias reuniões, fazer visitas e participar de festas no interior, conhecido político de nossa região, domingo à noite, reúne seus principais cabos eleitorais para uma reunião de avaliação da semana de campanha.
Coloca as mãos nos bolsos e retirava dezenas de bilhetes e anotações feitas a mão, contendo pedidos de eleitores (bolsa de estudo para o filho, extensão de rede elétrica, pedidos de emprego, ajudas as mais diversas...), e, sem cerimônia, colocava-as no fogo da lareira que aquecia a sala.
Atônito, um cabo eleitoral mais atento adverte o candidato à reeleição: “Doutor, o senhor acabou de queimar os pedidos dos nossos eleitores”. O candidato responde: “Calma, não se preocupe. Pela minha experiência, de todos os pedidos recebidos, uns 50% se resolvem por si próprios, além de serem feitos também a outros candidatos; uns 30% nem os próprios solicitantes vão se lembrar do que pediram e a quem; uns 10% não têm solução, pois são impossíveis de serem atendidos, e o restantes são pedidos de adversários, portanto não devem ser atendidos. Como você pode ver, não há por que se preocupar”.
Vivendo e aprendendo.

2 comentários:

Anônimo disse...

SAÚDE PROMOVE CAMPANHA PARA IMUNIZAÇÃO DE IDOSOS



Campanha de Vacinação contra a Gripe

A Prefeitura de Caxias do Sul, por meio da Secretaria da Saúde (SMS), informa que entre os dias 23 de abril a 04 de maio será realizada a Campanha de Vacinação Contra a Influenza (gripe). No sábado (28.04), será promovido o Dia Nacional de Vacinação, Dia “D”, com cerca de 100 postos à disposição da comunidade.
A vacinação contra o vírus Influenza (gripe) é recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e pelo Ministério da Saúde para pessoas acima de 60 anos, pois os coeficientes de morbidade e mortalidade, por complicações das doenças respiratórias, aumentam significativamente nessas pessoas quando contraem gripe do vírus influenza. A meta desse ano, para Caxias do Sul, é vacinar gratuitamente 35.154 idosos, devendo atingir o percentual de 70%, preconizado pelo Ministério da Saúde.

Anônimo disse...

Emenda 3

Mais uma vez Caxias do Sul demonstra que é politizada e esta acompanhando de perto todos os acontecimentos que ocorrem na Capital Federal. NO dia 10 de abril Caxias parou para chamar a atenção do Governo Federal quanto a necessidade de manter o veto à emenda 3 do Projeto de Lei da Super Receita. Se, por acaso, fosse mantida a emenda 3, estaria aberta a possibilidade de flexibilizar a relação capital-trabalho de forma vergonhosa. Todas as conquistas de décadas poderia ir água abaixo. Vetar e manter o veto da Emenda 3 é fundamental.